quinta-feira, 7 de julho de 2016

ESTAÇÃO MURINELI - Avançando as pesquisas da E. F. Leopoldina pelo estado do Rio.









Ramal Sumidouro - km ?

Inaugurada em 11/03/1889

Uso atual: sem informação precisa.





Seguindo minhas pesquisas pelo Ramal Sumidouro suprimido em maio de 1967 - que se estendia até Conselheiro Paulino na Linha Cantagalo, cheguei a Estação de Murineli, Município de Sumidouro, estado do Rio de Janeiro. 
Foi minha “segunda parada” para fotos na viagem que fiz a Nova Friburgo.
 Originalmente era chamada Murinelly, depois modificada após a reforma ortográfica no Brasil para Murineli. 
A antiga estação está localizada na comunidade de mesmo nome e fica afastada da sede do Município de Sumidouro, margeando a rodovia RJ-148. 
A estação segue em boas condições, mantendo viva a memória da Estrada de Ferro Leopoldina na comunidade.
Próximo à estação encontramos uma capela que compõe o belo cenário bucólico das pequenas comunidades.
Graças aos amigos da página  “Promemória Sumidouro” do facebook, apresentamos alguns registros fotográficos de quando ainda passavam trens por ali, além de um importante levantamento histórico sobre a origem do nome da Estação:

Prezado Amarildo Mayrink, ao pesquisar a origem do nome da referida estação, elaborei uma biografia de José Arthur de Murinelly:
José Arthur de Murinelly é natural do Rio de Janeiro onde se formou em Engenharia em 1862. É nomeado Diretor das obras públicas em Niterói em 1863 e vai para Curitiba em 1864.
Ainda jovem militar, em 1865, atendendo a convocação do imperador D. Pedro II formou e comandou o Primeiro Corpo de Voluntários da Pátria da Província do Paraná, que seguiu pelas águas do rio Paranaguá para lutar na Guerra do Paraguai, buscando reforçar o efetivo das forças militares do Exército Brasileiro.
Chegando a tenente de estado-maior de 1ª classe, pede demissão do exército em 1867.
Casa-se, em 1872, com Maria Magdalena de Oliveira Murinelly, de
Paranaguá/PR, filha do tenente coronel Manoel Leocadio de Oliveira. Tiveram dois filhos, José de Oliveira Murinelly, Diplomata na Suiça, e Joaquina de Oliveira Murinelly.
É eleito Deputado provincial nos anos de 1870/71/74 e 75.
Foi engenheiro fiscal da estrada de ferro do Paraná em 1871.
Em 1885, o engenheiro funda a companhia açucareira Engenho Central do Rio Branco na Zona da Mata mineira, cuja direção era composta por ele, Antonio Paulo de Mello Barreto e Lindolfo Martins Ferreira.
José Artur de Murinelly, que já havia atuado como engenheiro fiscal da estrada de ferro do Paraná, com certeza participou da construção do ramal de Sumidouro, iniciado neste mesmo ano de 1885, visando o escoamento da produção açucareira e de café entre Minas Gerais e o estado do Rio de Janeiro.
Uma evidência de tal fato está no nome de duas estações do ramal, Murinelly e Mello Barreto, ambos diretores da citada Companhia açucareira.
Faleceu em Nice, França, em 1896.




Abaixo, mais uma seção ontem/hoje, graças aos amigos de "Promemória Sumidouro".














5 comentários:

  1. Eu adorei ler, gosto muito de saber sobre ferrovias antigas aqui no nosso estado, principalmente na região serrana e os envolvidos.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo cuidado com a pesquisa criteriosa, com a seleção e com o tratamento das fotos! Que belo e emocionante trabalho de rasgate da memória ferroviária regional faz Amarildo Mayrink!

    ResponderExcluir