quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

EDIÇÃO FOTOS HISTÓRICAS - 04. Mais alguns registros da ferrovia em Bicas.


Em mais um resgate fotográfico da história da ferrovia em Bicas, novamente em fotos cedidas pelo amigo Carlos Machado também aqui de Bicas, trazemos mais dois belos registros: o primeiro, de 1928 onde vemos duas belas locomotivas a vapor no pátio de manobras das oficinas de Bicas, uma delas de número 319

Na segunda foto, uma bela tomada da entrada principal das oficinas de Bicas sempre muito movimentada, com várias locomotivas a vapor e um grande número de ferroviários próximos ao portão principal.


Os amigos leitores não imaginam o quanto fico feliz ao receber verdadeiros "presentes" como estas fotos cedidas pelo Carlos, alegria que divido com todos vocês!


Na foto acima, duas belas Locomotivas a Vapor estacionadas no pátio de manobras das Oficinas de Bicas, com a 319 mais à frente.



A cidade "pulsava vida" em torno da ferrovia, como podemos ver no sempre movimentado portão das Oficinas de Bicas na foto acima. Não... isso não poderia ter acabado...




domingo, 1 de dezembro de 2013

PARADA PASSA CINCO - No Ramal do Pomba, uma pequena parada na área rural entre Guarani e Rio Pomba.











Estive na Estação em 25 de novembro de 2013

Inaugurada: 06/1886 (sem trilhos)

Ramal de Rio Pomba - km 270,836 (1960)






Um amigo de Guarani se ofereceu a me acompanhar até a pequena parada, a Estação de Passa Cinco, que fazia parte do Ramal do Pomba. Localizada na área rural do Município de Rio Pomba, a parada Passa-Cinco ainda conserva sua plataforma e a pequena cobertura, mesmo que faltando algumas telhas. No caminho encontramos também uma construção com características das construções ferroviárias, mas segundo moradores da região aquela não era a antiga casa de turma. 
A idéia estender a viagem para então encontrar a Casa de Turma e a ponte sobre o ribeirão Formoso, afluente do Rio Pomba, mas por motivo de força maior foi preciso retornar a Guarani. 
A Casa de Turma e a ponte ficaram para uma próxima oportunidade, mas foi legal completar este pequeno ramal da Estrada de Ferro Leopoldina.



















segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Oficinas de Bicas, "celeiro" de grandes artistas.


As Oficinas de Bicas sempre foram reconhecidas no âmbito ferroviário como uma das melhores oficinas da ferrovia, dado à qualidade de sua mão de obra, dotada de grandes artífices, verdadeiros artistas ferroviários. Nas fotos a seguir, algumas das obras de arte construídas em Bicas, como carros de controle, carros de chefia do trem, autos de linha, etc.
* O blog otremexpresso agradece ao casal Paulo Nunes e Edith Dias de Oliveira Nunes pela importante contribuição na identificação dos ferroviários. 

FOTO 01, cedida por Paulo Nunes - Em pé, da esquerda para a direita, 01- não identificado, 02- José Taroco, 03- Osvaldo Coelho, 04- José Cúgola, 05- Waldir Xavier (Neném), 06- Waldemar Lopes, 07- Laerte Afonso, 08- Luiz Lanini e 09- Nilson Batista. Agachados, 01- Manoel Marques e 02- não identificado.




FOTO 02, cedida por Silene Mazoco - Nesta foto não foram identificados os números 01, 02, 03, 04, 10, 11 e 14.  05- Milton Mazoco, 06- Dr. Trigo, 07- Júlio Tum, 08- Paulinho Daniel, 09- Tuninho Galinha, 12- Zico Lanini, 13- Norberto Barral, 15- Waldir (Didi Garapa), 16- Luiz Lanini, 17- Sr. Barreto, 18- Antônio Marques(?).




FOTO 03, cedida por Nem Cunha - 01- Genaro, 02- Albertinho Rossi, 03- Bico Doce, 04- Zico, 05- Waldir (Didi Garapa), 06- Dr. Trigo, 07- José Cúgola, 08- Júlio Tum, 09- Luiz Lanini, 10- Jairzinho.




FOTO 04, cedida por César Lanini - 01- Pedro Lanini, 02- Alberto Rossi, 03- Waldir (Didi Garapa), 04- Francisco Lanini, 05- Zico.




FOTO 05, foto cedida por Aracy Moreira - 01- Octacílio J. Moreira e seu primo, 02- José Maria Cândido.





segunda-feira, 18 de novembro de 2013

BICAS, década de 1970! Foto inédita registra a passagem do trem pelo Bairro Santana.


Até hoje uma coisa vinha me intrigando: será que ninguém tirou uma foto sequer de uma composição passando por outro local da cidade que não a região de nossas oficinas e da Estação Ferroviária? Será que um dia poderia realizar o sonho de ver uma foto do trem passando pela Melo Viana, pela Reta ou pelo Bairro Santana?
Eis que mais uma vez surgem os amigos Paulo Nunes e Edith com uma verdadeira preciosidade: uma composição passando pelo Bairro Santana, bem próximo da região onde hoje está localizada a Escola Estadual Deputado Oliveira Souza em meados da década de 1970, já como RFFSA.
Aos amigo Paulo Nunes e Edith, meus sinceros agradecimentos pela realização do sonho! Obrigado por mais esta importante contribuição.

Olha o trem passando pelo Bairro Santana, já na época da RFFSA.




domingo, 17 de novembro de 2013

Uma viajem de GUARANI a PIRAÚBA pelo antigo leito da ferrovia.







Aproveitei a manhã de domingo para seguir uma sugestão do amigo Marcelo Rocha, que pelo facebook me indicou novas descobertas. Segue o texto:
Olá, Mayrink! Tudo bem?
Ontem estive em Guarani e retornei para Piraúba pelo antigo leito da linha. Neste trecho tem uma casa de turma mais ou menos conservada e mais à frente, já no Município de Piraúba, uma caixa d’água. Dá para fazer praticamente todo o trecho de moto. Posso garantir que vale a pena, é muito maneiro. Abração aê, vlw!
Pois é, lá fui eu pelos caminhos do trem da Leopoldina e realmente valeu à pena, Marcelo! Belas fotos num percurso com belas fazendas e lagos, um trecho da ferrovia onde o antigo leito está totalmente preservado. O resultado pode ser visto nas fotos.
Valeu a dica, Marcelo!





Depois da ponte, um pouco antes do trevo para Piraúba pela rodovia, o antigo leito prosseguia à esquerda, hoje estrada rural.




Logo após deixar o asfalto, anda-se um bom trecho de estrada rural para encontrarmos uma antiga Casa de Turma.











No percurso, sedes de fazendas, lagos e belas paisagens.





Uma parada para apreciar o visual. Acima, indo para Guarani. Abaixo, indo para Piraúba. 






Aí está a Caixa d'Água que o Marcelo disse! No silêncio da área rural, é possível imaginar a maria-fumaça se aproximando e parando para reabastecer, até chegar a Piraúba.








Seguindo em frente, até chegar a Piraúba.