segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Oficinas de Bicas, "celeiro" de grandes artistas.


As Oficinas de Bicas sempre foram reconhecidas no âmbito ferroviário como uma das melhores oficinas da ferrovia, dado à qualidade de sua mão de obra, dotada de grandes artífices, verdadeiros artistas ferroviários. Nas fotos a seguir, algumas das obras de arte construídas em Bicas, como carros de controle, carros de chefia do trem, autos de linha, etc.
* O blog otremexpresso agradece ao casal Paulo Nunes e Edith Dias de Oliveira Nunes pela importante contribuição na identificação dos ferroviários. 

FOTO 01, cedida por Paulo Nunes - Em pé, da esquerda para a direita, 01- não identificado, 02- José Taroco, 03- Osvaldo Coelho, 04- José Cúgola, 05- Waldir Xavier (Neném), 06- Waldemar Lopes, 07- Laerte Afonso, 08- Luiz Lanini e 09- Nilson Batista. Agachados, 01- Manoel Marques e 02- não identificado.




FOTO 02, cedida por Silene Mazoco - Nesta foto não foram identificados os números 01, 02, 03, 04, 10, 11 e 14.  05- Milton Mazoco, 06- Dr. Trigo, 07- Júlio Tum, 08- Paulinho Daniel, 09- Tuninho Galinha, 12- Zico Lanini, 13- Norberto Barral, 15- Waldir (Didi Garapa), 16- Luiz Lanini, 17- Sr. Barreto, 18- Antônio Marques(?).




FOTO 03, cedida por Nem Cunha - 01- Genaro, 02- Albertinho Rossi, 03- Bico Doce, 04- Zico, 05- Waldir (Didi Garapa), 06- Dr. Trigo, 07- José Cúgola, 08- Júlio Tum, 09- Luiz Lanini, 10- Jairzinho.




FOTO 04, cedida por César Lanini - 01- Pedro Lanini, 02- Alberto Rossi, 03- Waldir (Didi Garapa), 04- Francisco Lanini, 05- Zico.




FOTO 05, foto cedida por Aracy Moreira - 01- Octacílio J. Moreira e seu primo, 02- José Maria Cândido.





segunda-feira, 18 de novembro de 2013

BICAS, década de 1970! Foto inédita registra a passagem do trem pelo Bairro Santana.


Até hoje uma coisa vinha me intrigando: será que ninguém tirou uma foto sequer de uma composição passando por outro local da cidade que não a região de nossas oficinas e da Estação Ferroviária? Será que um dia poderia realizar o sonho de ver uma foto do trem passando pela Melo Viana, pela Reta ou pelo Bairro Santana?
Eis que mais uma vez surgem os amigos Paulo Nunes e Edith com uma verdadeira preciosidade: uma composição passando pelo Bairro Santana, bem próximo da região onde hoje está localizada a Escola Estadual Deputado Oliveira Souza em meados da década de 1970, já como RFFSA.
Aos amigo Paulo Nunes e Edith, meus sinceros agradecimentos pela realização do sonho! Obrigado por mais esta importante contribuição.

Olha o trem passando pelo Bairro Santana, já na época da RFFSA.




domingo, 17 de novembro de 2013

Uma viajem de GUARANI a PIRAÚBA pelo antigo leito da ferrovia.







Aproveitei a manhã de domingo para seguir uma sugestão do amigo Marcelo Rocha, que pelo facebook me indicou novas descobertas. Segue o texto:
Olá, Mayrink! Tudo bem?
Ontem estive em Guarani e retornei para Piraúba pelo antigo leito da linha. Neste trecho tem uma casa de turma mais ou menos conservada e mais à frente, já no Município de Piraúba, uma caixa d’água. Dá para fazer praticamente todo o trecho de moto. Posso garantir que vale a pena, é muito maneiro. Abração aê, vlw!
Pois é, lá fui eu pelos caminhos do trem da Leopoldina e realmente valeu à pena, Marcelo! Belas fotos num percurso com belas fazendas e lagos, um trecho da ferrovia onde o antigo leito está totalmente preservado. O resultado pode ser visto nas fotos.
Valeu a dica, Marcelo!





Depois da ponte, um pouco antes do trevo para Piraúba pela rodovia, o antigo leito prosseguia à esquerda, hoje estrada rural.




Logo após deixar o asfalto, anda-se um bom trecho de estrada rural para encontrarmos uma antiga Casa de Turma.











No percurso, sedes de fazendas, lagos e belas paisagens.





Uma parada para apreciar o visual. Acima, indo para Guarani. Abaixo, indo para Piraúba. 






Aí está a Caixa d'Água que o Marcelo disse! No silêncio da área rural, é possível imaginar a maria-fumaça se aproximando e parando para reabastecer, até chegar a Piraúba.








Seguindo em frente, até chegar a Piraúba.








sábado, 16 de novembro de 2013

Diplomandos do Liceu Operário de Bicas em 1949.


Graças mais uma vez à contribuição do casal de amigos Paulo Nunes e Edith Dias de Oliveira Nunes, trago outra foto histórica, o Convite de Formatura dos Formandos do ano de 1949 no “Liceu Operário de Bicas”, uma das mais tradicionais escolas que existiu em nossa cidade, onde a qualidade do ensino era uma prioridade para a EFL - Estrada de Ferro Leopoldina. Era ali que os filhos dos ferroviários estudavam!
Naquele ano foram diplomados os seguintes alunos: João Carlos de Carvalho, Maria Aparecida Ferreira, Ronaldo B. de Senna, Adeniziê Martins, Nilza S. Nunes, Gilson M. da Cunha, Wolne J. Costa, Palmyra Costa, Consuelo Guarnieri, Noêmia Bertelli, Walda Arruda, Sinval de Souza, José Francisco, Deacy Dutra Corrêa, Carlos Daniel, Egas M. Nogueira, Neurma Cortat, tendo como Paraninfo o Major Aníbal Costa. Na oportunidade também foram homenageados o Dr. A. O. Denach Lima, Chefe do SESP e Catulino B. Dóre, Ajudante Regional.
Posteriormente, a escola recebeu o nome de “Escola Primária Quatro de Novembro”, mas nunca deixou de ser carinhosamente chamado de Liceu. Também estudei ali, entre 1969 e 1971. Uma escola com uma metodologia de ensino tão elevada e rigorosa que quando me mudei para o Rio de Janeiro em 1972 tornei-me o melhor aluno nas escolas públicas por onde passei naquela cidade. O aprendizado no Liceu também foi fundamental para minha aprovação no SENAI, no Centro de Formação Profissional do Engenho de Dentro, em 1976.
Agradeço mais uma vez ao Paulo Nunes e Dna. Edith pela importante contribuição no resgate da história da ferrovia em nossa cidade.






sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Mais duas belas e históricas fotos marcam a passagem da ferrovia por Bicas.


A história da ferrovia em Bicas sendo resgatada, agora em fotos cedidas pelo amigo Carlos Machado.



Na foto acima, duas belas locomotivas a vapor no pátio de manobras das oficinas de Bicas.




Nesta foto de 1939, a máquina 32 - específica para carga, com rodeiro menor.


01-  Não identificado, 02- não identificado, 03- não identificado, 04- Ari Cassiano, 05- não identificado, 06- não identificado, 07- Juquinha Benedicto, 08- Manoel Roque, 09- não identificado, 10- Nico Cândido ?, 11- Catulino, 12- Geraldo Nunes (pai do Dengo),


O blog otremexpresso agradece ao casal Paulo Nunes e Edith Dias de Oliveira Nunes pela importante contribuição na identificação dos ferroviários e a Carlos Machado pela doação das fotos.